Alumni

Os nossos alumni contam sobre os seus tempos de escola

Florentine Granditsch

 

Gestora de projetos e formadora, Viena

Área profissional: Consultoria de gestão

Abitur: 2003

 

 

„Os tempos passados na EAL foram ótimos! Não só conheci um novo país, a sua cultura, língua e culinária, como também um povo incrivelmente simpático. Pessoas que se tornaram e continuam amigas e que eu considero família – lembro-me dos tempos da EAL como sendo muito familiar: podia falar-se com professores, fazer desporto em conjunto com alunos e alunas de outras faixas etárias ou fazer piadas no autocarro, todos eram afáveis uns com os outros e cada individualidade era vista como uma mais-valia. Certamente que também houve más experiências, mas gostaria que todos pudessem viver um tempo de escola como o que tive na EAL!

O melhor presente que a EAL me deu – para além da aprendizagem de línguas – foi a sensibilização para outras culturas, perspetivas e abordagens. Esta é uma incrível “vantagem competitiva” para a vida futura. Ser-se multilingue constitui naturalmente uma enorme vantagem, independentemente da indústria em que se venha a trabalhar mais tarde. Mas demonstrar abertura de espírito, aproximarmo-nos uns aos outros e demonstrar interesse por coisas novas são qualidades que aprendi nos meus 7 anos na EAL e que sempre foram, são e serão úteis em qualquer lugar.”

 

 

O que fizeram os nossos antigos alunos depois de sair da EAL?

„Depois de terminar o Abitur em 2003, fui para Paris como au pair. Juntei-me a uma grande família francesa que vivia no 16º distrito e que tinha três filhos. Nesse ano, aperfeiçoei o meu francês e aprendi a amar Paris.

A seguir, fui estudar Gestão Turística na Universidade de Ciências Aplicadas de Viena. O programa de Bacharelato teve a duração de 6 semestres, um dos quais passado em Bruxelas.Após a Bacharelato, ficou claro para mim que tinha de sair novamente para o mundo – Viena e os austríacos de mente fechada, bem como a indústria hoteleira e o turismo, já não me atraíam – e por isso candidatei-me a várias universidades, incluindo a Universidade de Edimburgo na Escócia. Esta foi a primeira que aceitou a minha candidatura para um Mestrado em Gestão de Formação e Desenvolvimento. Em 2008, mudei-me então para Edimburgo, tirei o mestrado e aí tive o meu primeiro trabalho: Gestão de Recursos Humanos no Hotel Hilton Caledonian (agora Hotel Waldorf Astoria).

Passados 2,5 anos em Edimburgo, quis regressar à Áustria e, finalmente, mudar-me do sector hoteleiro para o sector da consultoria. Candidatei-me a várias empresas de consultoria, incluindo a Malik Management, uma empresa de consultoria de gestão na Suíça, que acabou por ser. Assim, mudei-me para St. Gallen, em 2011, e comecei como assistente pessoal do fundador da empresa e aprendi sobre o vasto assunto da gestão.

A Suíça foi ótima, mas fui levada de volta ao meu país natal, a Áustria, razão pela qual, em 2012, mudei-me para Viena, onde havia uma sucursal da empresa de consultoria. Desde então, tenho trabalhado em consultoria de gestão, mudei da Malik Management para a PURE Management Group e tenho trabalhado aí como gestora de projetos e formadora desde a fundação da empresa (2016). Em 2017, formei-me por interesse também como mediadora.

Nos 10 anos de aconselhamento e formação, uma coisa se tornou muito clara: o negócio do aconselhamento é um Peoples-Business e graças à minha experiência com outras pessoas, culturas e perspetivas na EAL e não só, é fácil para mim encontrar o meu caminho neste Peoples-Business.

Há cerca de 10 meses atrás, fui mãe pela primeira vez, o que veio mudar um pouco o meu foco. Desde sempre tive como objetivo profissional casar os meus dois perfis profissionais: aconselhar uma cadeia hoteleira sobre gestão… A ver vamos quando chega a altura!
E o meu objetivo pessoal: velejar até aos Açores e relaxar a mente, o corpo e a alma!”

 

Auszeichnungen